587

Como lidar com a dor de tatuar

Luiza Blackbird

Luiza Blackbird

Tatuar doi

Caso ainda não tenham te dito: tatuar dói! Mas calma, não é tanto assim. Se fosse, não haveria tanta gente tatuada que volta a tatuar novamente. Por isso fizemos este post aqui para te ajudar a lidar com a dor da tattoo. 

Diferentes intensidades da dor

A verdade é que existem pessoas mais tolerantes a dor, e pessoas que mal conseguem pensar no fato de tatuagem envolver agulhas. Mas apesar da percepção de dor variar de acordo de pessoa para pessoa, é verdade também que uma mesma pessoa (independente do quão tolerante à dor seja) irá sentir diferentes intensidades de dor em diferentes regiões do corpo. 

Esta imagem que tiramos do facebook do Pictoline ilustra em azul as regiões “mais tranquilas”, em verde as zonas de dor moderada, e em vermelho aquelas regiões que são para pessoas mais familiarizadas com a dor da tattoo. Nosso conselho é que você pesquise por estudos que mapeiam a dor em diferentes áreas do corpo, e se for sua primeira tattoo ou caso sua tattoo seja muito grande, considere fazer em regiões mais “tranquilas”. 

Diferentes tattoos = diferentes dores

Além de cada região do corpo poder ser mais ou menos sensível, de acordo com as terminações nervosas, diferentes tipos de tattoos irão proporcionar diferentes tipos e intensidades de dor.

Tatuagens só em linhas (ornamental, escritas, etc) tendem a doer menos do que as tatuagens onde o desenho contém sombras (realismo, ilustrações) e/ou preenchimentos (maori, tribais, etc). Isso se dá ao fato de trabalhos em linhas exigir menos agulhas (3, 5, 7 agulhas….) do que trabalhos com preenchimento ou sombras (11, 15, 23 agulhas…).   

Além disso, o pigmento preto dói menos para ser introduzido do que muitos pigmentos coloridos. Isso se dá ao fato dos pigmentos coloridos serem normalmente mais densos que o pigmento na cor preta, e muitas vezes inserir estes pigmentos densos, requer mais passadas de agulha na pele (consequentemente mais dor).

Analgesia

Queremos deixar claro que o uso de anestésico é proibido, entretanto existem métodos de analgesia que são farmacológicos e não farmacológicos e sugerimos que você busque mais informações sobre os métodos que mais se adequarem ao seu perfil.

Há clientes que tomam comprimidos analgésicos e relaxantes musculares de venda livre, que não necessitam do uso de prescrição médica para serem comprados. Há outros que vão além e chegam a fazer uso de anti-inflamatórios. Qualquer que seja a escolha do cliente deverá surtir algum efeito. Independentemente do método escolhido por você, aconselhamos que consulte um médico e não faça o uso de medicações por conta própria. 

Os métodos não farmacológicos de alívio da dor são muitos e vão do uso de gelo a sessões de hipnose. Inclusive já tivemos a oportunidade de tatuar uma cliente sobre efeitos de hipnose e o resultado foi incrível!. Outro método que pode ajudar é apertar aquelas “bolas anti-estresse” durante a tattoo, concentrando seu enrijecimento muscular para outra área do corpo que não a que está sendo tatuada. Aproveite para conversar com um acompanhante (caso seja permitida a presença de acompanhantes pelo estúdio ou tatuador que estão te atendendo). Uma boa conversa pode fazer você concentrar em coisas que acontecerão ou que você planeja fazer, tirando um pouco o foco da dor no momento. 

Resumindo

Se você buscar conhecer o seu nível de tolerância a dor, e tentar adequar isso à parte do corpo a ser tatuada, ao estilo de tatuagem a ser realizada e fazer um método (seja farmacológico ou não) de alívio da dor, você tem tudo pra ter uma experiência muito mais positiva durante seu processo de tatuagem. 

 

BORA RABISCAR! 

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest
Share on twitter
Fechar Menu
×
×

Carrinho