Nunca quis ser tatuadora. Mas já nasci com o lápis na mão. Dentre uma série de rabiscos, comecei a me dedicar aos desenhos de retratos e aquarelas, que sempre fui encantada. Hoje não sei se fui eu que escolhi ou se a tattoo me escolheu.

SOBRE